sexta-feira, 4 de maio de 2007

Sobriedade Necessaria

Afogado num copo de cerveja, o policial Peter Keough ja nao mais conseguia erguer-se em seus joelhos. Fraco, instavel e passado, estava claro que aquela noite havia sido mais que uma corriqueira patrulha.
Aqueles porto-riquenhos tinham muito a oferecer, e ele pensava "Onde estava com a cabeça"
"Por que eu nao fiz o que tinha que fazer?"
"Mais uma?" perguntou o barman, um homem corpulento que aparentava muito mais idade que realmente tinha, trajava um avental sujo, amarrotado, com a camisa dobrada nas mangas, era largo, pesado e bruto. "Sim, dessa vez dupla" Peter respondeu...
O ranger das portas do bar era notorio, e comum, muitos entravam e saiam....
Mas quando aquele perfume entrou com a brisa gelida noturna, uma sensação arrepiou as costas do policial. Ele conhecia, ate mesmo o barulho do salto...o caminhar suave mas com autoridade.
A atenção voltou-se para ela... Cattie Durvall.
A luz de neon que estava fixada na parede piscava ao mesmo passo de Cattie.
Cattie era uma ex-agente de campo, que havia sido rebaixada de posto por ter condutas nao apropriadas, era tida como uma "justiceira".
Usava calças jeans justas, botas de camurça de salto, e uma camiseta branca que resaltava seus protuberantes seios. Cabelos volumosos e ondulados, de uma cor quase dourada.
Sua voz ecoou pelo bar, e arrepiou o policial.
"Peter... fiquei sabendo....sinto muito.....Mas acho que posso te ajudar"
O barman empurra um copo meio cheio, com um Bourbon nao muito bom. Ela agarra o copo ainda em deslize e faz o conteudo cor de ouro descer pela garganta com apenas um gole.
Peter levanta-se.... olha para os lados, da de ombros....e cai... como se tivesse duas toneladas.
Do chao, ve aquela face, que poderia ser sua ultima esperança, e entao o manto escuro paira diante de seus olhos, e ele desmaia.
to be continued.....

1 comentários:

Darcio Soprano disse...

concordo plenamente